Saudades do garoto de Manchester

Ian Curtis

Manchester, a cidade cinzenta em 1976 mesmo sem muitas opções de diversão conseguiu inspirar os seus garotos, no meio da poluição que vinham das fábricas mostraram ao mundo que havia vida por trás do concreto, formaram bandas que mudariam para sempre suas vidas, e por que não dizer, as nossas.

Hoje poderia ser uma terça-feira comum de outono, com o trânsito, o trabalho e a rotina, mas será impossível não lembrá-lo: são 30 anos sem Ian Curtis, aos 23 anos com uma banda, uma doença, dois amores e muitos conflitos…ele decidiu ir embora, partiu em silêncio.

Falar do Joy Division parece ao mesmo tempo simples e complexo, como explicar algo que você só sabe sentir? Geralmente tudo que entra em nossas vidas um dia vai embora…amigos, amores, empregos, lugares…Mas e quando algo entra e resolve permanecer? Que nome daremos para isso? A música do Joy Division entrou na minha vida e ultrapassou o tempo, as fases e os momentos…e sustenta boa parte daquilo que admiro e sou, mas não há um fanatismo exagerado nisso tudo, não ouço Joy Division com uma corda no pescoço e nem vejo Ian Curtis como um ídolo intocável, o vejo com todas as suas limitações e defeitos, a admiração vai além de sua música, o ser humano é real….o ídolo não!

Joy Division não combina com sucesso, estádios lotados ou fã clubes…há uma simplicidade espetacular, Ian foi acima de tudo único, sem rótulos…nos presenteou com uma passagem rápida, densa e marcante…infelizmente nos deixou orfãos no meio do “show”, muitas perguntas sem respostas, mas julga-lo, jamais! Como ele mesmo disse “o mais importante é a música”…e Ian está em todas, portanto e lá que estão as respostas!

Não importa o que veio depois: coletâneas, filmes, livros, camisetas, porque tudo isso um dia passa, o mais importante ficou lá trás num passado distante, desconhecido e sem volta, um passado que insiste em permanecer vivo tornando o Joy Division uma “experiência individual” e única para cada um de nós.

Corina – bibliotecária nas horas vagas e fã do Joy Division em tempo integral. 

~ por 80stributebands em maio 18, 2010.

6 Respostas to “Saudades do garoto de Manchester”

  1. Brilhante, Corina!
    Conseguiu colocar em palavras tudo o que sinto pela banda.
    Também tenho muitas saudades do “garoto de Manchester”.

  2. Corina…..me emocionei lendo teu texto…disse tudo é isso aí mesmo…bjao..prazer enorme ter conhecido todos vcs !!!!!!
    Espero poder estar com todos vcs por muitas vezes ainda !
    cheers

    • Marie e Felipe!

      É muito bom ter vcs aqui tb! Ficamos muito felizes!

      E a Corina é brilhante mesmo, por isso faz parte oficialmente da nossa equipe de colaboradores do blog!

      bjs

  3. O Joy Division me proporcionou momentos incríveis, uma delas foi conhecer VCS, pessoas mais que especiais!
    É muito bom poder “dividir a alegria” com VCS!

    Super abraço!

  4. Emocionante! Parabéns pelo texto, Corina! Compartilho o feeling com você e todos do blog! Beijooo

  5. Belo texto mesmo… Apaixonado e apaixonante… Lendo, o cinza do céu de Manchester quase surge na nossa mente, ao som de Joy…

    Já está escrito Joy Division na história do Rock e da música contemporânea, assim como de seu poeta Ian Curtis… Lindo! :’)

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: